Biografia e Plataforma de Alex Tischer

Biografia

Alex Tischer, Dra. em Medicina Veterinária: atualmente, trabalha com medicina veterinária de emergência e cuidados críticos no Reino Unido. Está no fandom desde antes da virada do milênio e já passou por tantos fandoms que não seria possível listar todos aqui. É membro da OTW (Organização para Obras Transformativas) desde a sua fundação, e tem sido parte de sua equipe voluntária pelo mesmo período de tempo. Além do fandom de mídia também, de alguma forma, acabou no estranho e maravilhoso mundo dos esportes ­ — grupos específicos que são parecidos com fandoms de modo surpreendente. Quando não está lidando com animais doentes, Alex pode ser encontrada em corridas de obstáculos, escaladas e corridas em trilhas quase tão frequentemente quanto consumindo mídia.

Plataforma

1. Por que você decidiu participar das eleições para o Conselho de Administração?

Quando meu mandato como membro do Conselho terminou em 2017, pensei em esperar alguns anos antes de me candidatar de novo. Acredito que três anos sejam o suficiente.

Estou com a OTW há 12 anos, ao longo dos quais trabalhei em muitos comitês e, apesar da impressionante melhora do ambiente nos últimos anos, penso que ainda há muito a ser feito. Acredito que eu ainda não tenha esgotado minha capacidade de ajudar a abrir caminhos para uma OTW melhor.

2. Que competências e/ou experiência você traria para o Conselho?

Fui membro ativo de uma quantidade considerável de organizações e comitês ao longo dos anos. Trabalhei em várias divisões, desde a tesouraria do Grêmio Estudantil até os comitês de Web, Saúde e Segurança em minhas organizações profissionais.

Com essas experiências, aprendi muito sobre gerenciamento de pessoas — lembro a época em que preparava as escalas de mais de 40 estudantes de pós-graduação clínica e/ou estágio. Também aprendi a resolver tarefas de modos diferentes e pensar em soluções criativas para problemas.

Dentro da OTW, fui parte da equipe de diversos comitês e presidente de um deles. Além disso, já fiz parte do Conselho de Administração no passado.

Conheço os desafios que precisamos enfrentar diariamente e maneiras de superá-los. Trago comigo o conhecimento sobre as inter-relações da OTW, e almejo contribuir para o desenvolvimento de um bom ambiente de trabalho na organização.

3. Escolha uma ou duas metas para a OTW que são importantes para você e nas quais você teria interesse em trabalhar durante seu mandato. Por que você valoriza esses objetivos? Como você trabalharia com outras pessoas para alcançá-los?

Eu gostaria de continuar trabalhando pela transparência e cooperação interna na organização que começamos a estabelecer quando assumimos o Conselho em 2015, além de garantir que tenhamos a estrutura necessária para oferecer o que as pessoas que usam nossos projetos merecem: uma organização eficiente que consegue concentrar toda a sua energia no aprimoramento de seus projetos, sem se desgastar com conflitos internos.

Em termos mais específicos, eu gostaria de melhorar a estrutura que oferece suporte apropriado aos projetos centrais pelos quais a OTW foi fundada, como o Archive of Our Own – AO3 (Nosso Próprio Arquivo), a Fanlore, a Transformative Works and Cultures – TWC (Obras e Culturas Transformativas) e Legal Advocacy (Ativismo Jurídico), fazendo ainda mais do que já foi feito.

Basicamente, quero fazer as tarefas sem graça porém necessárias na organização para que ela funcione melhor como um todo, permitindo que nossos projetos foquem em suas áreas de especialização.

4. Que experiência você tem com os projetos da OTW e como você colaboraria com os comitês relevantes para os apoiar e fortalecer? Tente incluir diversos projetos, mas se sinta à vontade para enfatizar em particular projetos com que você tem experiência.

Já fui parte de diversos comitês durante os anos que passei com a OTW e tenho bastante experiência me comunicando e interagindo com tantos quanto forem necessários para terminar uma tarefa. Só no comitê de Tradução, já colaboramos com a maioria dos comitês em algum momento, quando precisaram que algum texto fosse traduzido. Creio que o mais importante seja manter a comunicação clara, responder e-mails o mais rápido possível e, em geral, manter uma mente aberta a possibilidades.

Nossos comitês costumam ser bastante cientes de seus pontos fortes e fracos, e penso ser importante não tentar impor prioridades vindas de cima. Ao invés disso, devemos nos certificar que a colaboração e apoio que oferecemos são de fato necessários e desejados.

5. Como você equilibraria seu trabalho no Conselho com seus outros cargos na OTW ou como planeja se afastar de suas responsabilidades atuais para se focar no trabalho do Conselho?

Sou uma pessoa bastante eficiente e boa em gerenciar o meu tempo. Não tive problemas para continuar trabalhando nos comitês dos quais participo na primeira vez em que fui membro do Conselho, e acredito que o Conselho atual esteja em melhor estado do que o de 2015.

Se for necessário, conversarei com colegas de comitê para encontrarmos uma solução.