Diretoria Indica Candidata Eleita em Último Lugar

ATUALIZAÇÃO: a Diretoria de 2015 renunciou.

Em 14 de agosto de 2015, a Diretoria votou para diminuir sua composição de 9 para 7 diretorxs. Antes dessa votação, a Diretoria informou o time de Eleições que apenas 2 vagas seriam liberadas para votação neste ano. Isto está de acordo com o Artigo V, #3 do estatuto da organização, o qual determina que todo ano ao menos 2 diretorxs devem ser eleitxs e que se a Diretoria tiver 7 ou mais membros, ao menos um terço delxs devem ser eleitxs anualmente.

Em 16 de setembro, a líder do time de Eleições indicou que, já que é possível eleger mais do que o número mínimo requerido de diretorxs em um ano, tínhamos esse ano, graças ao volume supreendente de pessoas que haviam se candidatado, a oportunidade de revitalizar uma Diretoria que vinha cada vez mais encolhendo nos últimos tempos (inicialmente, havia 8 candidatxs na disputa). A Diretoria rejeitou essa proposta e Andrea Horbinski deu a seguinte resposta: “a Diretoria votou para estabelecer uma Diretoria com sete membros. Como elegemos três pessoas no ano passado, podemos eleger duas pessoas este ano e mais duas no próximo e facilmente manter um cronograma regular — o mesmo que tínhamos antes do aumento da Diretoria para nove pessoas.”

Depois, a Diretoria removeu Nikisha Sanders da lista de candidatxs. Mais uma vez, a líder do Eleições teve seus protestos ignorados pela Diretoria. Subsequentemente, Dan Lamson retirou sua candidatura.

Seis candidatxs disputaram a eleição final. Os votos dos membros levaram ao seguinte ranking:

  1. Matty Bowers
  2. Atiya Hakeem
  3. Alex Tischer
  4. Katarina Harju
  5. Aline Carrão
  6. Andrea Horbinski

A candidata em 5º lugar, Aline, recebeu 2,89 vezes o número de votos que a candidata em 6º lugar, Andrea.

Hoje a Diretoria realizou uma reunião da Diretoria aberta no canal acessível ao público Discussão Pública. Apesar de não ter avisado a voluntárixs, membros ou ao comitê de Eleições de que hoje aconteceria esta votação, a Diretoria votou a favor do retorno de Andrea Horbinski para a Diretoria para encerrar o mandato que vai até 31 de dezembro de 2016, para ocupar o assento vago por Anna Genoese no fim de 2014. Andrea Horbinski, Margaret J. MacRae, Cat Meier, e Jessica Steiner votaram a favor, Eylul Dogruel absteu-se, e Soledad Griffin não estava presente. Você pode ler uma transcrição desta votação e a reação resultante nesse link.

Em 2010 uma situação semelhante ocorreu, quando um membro da Diretoria renunciou logo depois da eleição daquele ano. Na época, a candidata seguinte foi chamada para preencher o assento. Precedente, bom senso, e a ética impõem que as escolhas dos membros em uma eleição sejam respeitadas. O Comitê de Eleições apóia a indicação de Alex Tischer para ocupar o assento de Anna na Diretoria. Caso Alex não deseje assumir a posição, nós apoiamos a indicação de Katarina Harju ou Aline Carrão, nessa ordem.

Esta notícia foi traduzida pela equipe voluntária de tradução da OTW. Para saber mais sobre o nosso trabalho, visite a página da Tradução no site transformativeworks.org.

Biografia e Manifesto de Katarina Harju

Biografia

Katarina é finlandesa falante de sueco atualmente estudando para obter um diploma na área de Tecnologia da Informação. Antes disso, ela trabalhou com contabilidade por muitos anos. Ela começou a procurar fandoms em 2000 depois de ler a respeito em uma revista (e é eternamente grata por ter escolhido esta revista em especial em um momento de tédio). Ela criou obras de fãs em diversos fandoms, muitas das quais podem ser encontradas na sua página de usuárixs no Archive of Our Own – AO3 (Nosso Próprio Arquivo). Em algum momento ela se apaixonou por podfics, e ela ainda escreve fics, grava podfics, e até mesmo artesanato ligado a fandoms às vezes, mas não com a frequência que gostaria. Katarina acompanhou o trabalho da OTW’s (Organização Para Obras Transformativas) de perto desde o começo, envolvendo-se em 2013 como membro do comitê de Tradução, onde hoje ela é tradutora e membro da equipe. Ela foi organizadora de tags por um tempo em 2014, e hoje também trabalha no comitê de Abuso do AO3.

Manifesto

1. Por que você decidiu concorrer à Direção?

Durante meu serviço na OTW, passei a me importar muito com os objetivos da OTW, com colegas voluntárixs e com usuárixs de nossos projetos. Existem, contudo, diversas áreas do funcionamento da OTW com as quais não estou satisfeita, incluindo alguns aspectos de como a Direção atual da OTW funciona. Sinto que me candidatar para a Direção é o melhor modo de servir às necessidades dos grupos já mencionados, e de ajudar o trabalho da Direção a refletir estas necessidades. Segui o desenvolvimento da OTW desde o início, e estou muito investida em sua missão e seus projetos. Nos últimos dois anos, vi muitos comitês prosperarem, colaborarem e progredirem nos seus objetivos, enquanto outros tiveram problemas por falta de comunicação e problemas de administração da Direção. Acho que me voluntariar para me unir à Direção é a forma lógica de tentar ajudar a consertar isso.

2. Quais habilidades e/ou experiências você trará para a Direção?

Eu tenho experiência profissional com contabilidade, e embora os regulamentos sejam um pouco diferentes, já que a OTW é estabelecida nos Estados Unidos, o básico e as melhores práticas de contabilidade e controle de orçamento aplicam-se para OTW da mesma forma que para as empresas onde já trabalhei.

Como membro da equipe de Tradução, tenho experiência nas áreas de gerenciamento e administrativa, incluindo lidar com uma grande quantidade de e-mails com questões variadas em pouco tempos, organizar as tarefas para nossxs mais de 150 voluntárixs, escrevendo documentos e colaborando com outros comitês. Tenho experiência trabalhando com pessoas origens e culturas diferentes, tanto na OTW quanto na minha vida offline, o que resulta em uma ótima base para trabalhar na Direção de uma organização tão diversa quanto a OTW. Também tenho experiência com TI, e, embora não faça parte do grupo de pessoas que mantem o AO3 funcionando e melhorando, eu compreendo o que elxs fazem (e sou extremamente grata).

3. Que objetivos você gostaria de atingir durante seu mandato?

Eu gostaria de ver a Direção chegar em um ponto em que ela não considere necessário envolver-se na administração cotidiana — uma Direção que não microgerencie, que em vez disso foque nas decisões mais importantes e nos planos para assegurar que a organização atinja seus objetivos. Onde o envolvimento da Direção for necessário, como algumas vezes acontece, eu faria o meu melhor para garantir que a situação fosse resolvida de forma agradável e, mais importante, com agilidade para evitar atrasos desnecessários no trabalho dos comitês.

Além disso, eu gostaria de ver o comitê Financeiro sendo reestabelecido de alguma forma, ou para fazer alguns ajustes razoáveis na maneira como são conduzidas nossas contas. Não parece ser razoável que todo esse trabalho caia sobre os ombros de uma única pessoa como acontece hoje. Independente da habilidade desta pessoa em lidar com o trabalho, é simplesmente irresponsável não ter algum mecanismo de redundância embutido no modo como lidamos com as finanças da organização. Como a nossa contabilidade está nas mãso de uma única pessoa, que também é a responsável por interpretar os relatórios financeiros para Direção (e que pode ela mesma ser parte da Direção), não existe supervisão suficiente sobre as finanças e contabilidade. No momento não existe nenhuma forma de auditoria interna ou externa, o que significa que não existe nenhuma forma eficiente para demonstrar responsabilidade fiscal.

4. Qual é a sua experiência com os projetos da OTW e como você colaborará com os comitês relevantes para lhes dar apoio e fortalecer? Por favor, inclua AO3, TWC, Fanlore, nosso trabalho de Legal Advocacy (Assistência Jurídica), e Open Doors (Portas Abertas), mas sinta-se livre para enfatizar áreas nas quais você tem mais interesse em particular.

Fui organizadora de tags e atualmente sou membro do comitê de Abuso do AO3, também sou usuária do AO3, então tenho mais experiência prática com o AO3 do que com outros projetos. Entretanto, também sou membro do comitê de Tradução, que trabalha com muitos outros projetos da OTW, e, assim, tive a oportunidade de me familiarizar com os trabalhos desenvolvidos, e também com os comitês que tornam esses projetos possíveis.

De forma geral, acho que é importante que a Direção seja acessível, e que a Direção possa descobrir as necessidades dos comitês através de um diálogo aberto, já que os comitês estão na melhor posição para saber o que precisam. Muitas vezes apresentar uma proposta para Direção parece ser mais um obstáculo para realização de tarefas do que uma oportunidade para fazer mudanças e ajustes úteis nos planos. Então uma coisa que pretendo fazer por todos os projetos é ser o mais aberta possível e realizar o meu trabalho em tempo hábil.

Acredito que deveríamos confiar nos comitês para realizarem os trabalhos que já comprovaram ser capazes de cumprir, sem interferências desnecessárias. Para os que precisam de ajuda e suporte, deveríamos oferecer, mas não impor, esta ajuda. Nós deveríamos ouvir outros comitês que enfrentaram problemas semelhantes, entender como lidaram com a situação, e encorajar os que estão batalhando com ela a seguir o exemplo. A Direção não consegue resolver tudo com um passe de mágica ou estar presente em todos os lugares, mas ela pode ter o conhecimento dos antecedentes para facilitar as conexões entre pessoas que podem se ajudar.

5. Escolha dois tópicos/problemas que você acha que devem ter alta prioridade para a OTW, tanto interna quanto externamente. O que esses tópicos significam para você e por que você os valoriza? Como você os fará parte do seu serviço?

Na minha carreira profissional, eu trabalhei com a administração das finanças de outras pessoas e contabilidade, e por isso não consigo evitar focar na forma como as finanças da OTW são administradas atualmente. É desaconselhável deixar toda essa responsabilidade sobre os ombros de uma única pessoa. O que acontece se essa pessoa, por algum motivo, ficar indisponível para nós? Além disso, no momento nós não temos um orçamento, o que é algo importante para o planejamento futuro e estabelecer os objetivos das arrecadações de fundos.

E falando nas finanças, acho que nós deveríamos repensar outras áreas também — especialmenete as nossas campanhas de arrecadação de fundos. Nós tivemos várias campanhas de membros muito bem sucedidas (e somos eternamente gratxs a todxs xs doadorxs), mas a verdade é que a maior parte deste dinheiro está parado em uma conta bancária, sem uso. Como nós podemos justificar pedir mais dinheiro axs nossxs usuárixs, sendo que ainda nem usamos o que já recebemos? Existem coisas úteis que poderiam ser feitas com esse dinheiro, tais como contratar pessoas para ajudar com o código do AO3 ou do site da OTW, ou garantir que vamos investir em novos servidores para os nossos projetos rapidamente. Caso não tenhamos nenhum plano para usar o dinheiro que já temos, deveríamos ser honestxs quando vamos pedir por mais doações.

6. Quais você acha que as principais responsabilidades da Direção são? Você está familiarizada com os requisitos legais para a direção de uma organização de fins não econômicos baseada nos EUA?

Não sou cidadã americana, mas estou familiarizada com os requisitos para uma organização sem fins lucrativos sediada nos Estado Unidos, e as responsabilidades desta Direção em particular. Não me candidataria a uma posição sem antes ter pesquisado o melhor possível as responsabilidades que vêm com ela. Acho que o requerimento legal essencial é o dever de atenção de umx diretorx para com a organização e seus membros: ficar informadx sobre o que está acontecendo na organização, tomar decisões baseadas no maior interesse da organização e sua missão.

Acredito ser responsabilidade da Direção observar o panorama geral, e guiar a organização com base nos seus objetivos. A Direção não deve ser responsável pela administração cotidiana. A Direção da OTW em alguns momentos achou necessário se envolver de uma forma que não é ideal; como a estrutura interna da OTW não estava preparada para o ritmo de crescimento da organização, quando este envolvimento for necessário ele deve ser tratado de forma eficiente e de um jeito que não atrapalhe o exercício das atividades do dia a dia ou, se isso não for possível, que as atividades normais possam ser retomadas o mais rápido possível.

Também acho que é parte da responsabilidade da Direção ser o mais aberta possível a respeito de seu trabalho. Atualmente, muito do que a Direção faz acontece em ambientes que não são acessíveis a pessoas que não são membros da Direção, mesmo quando estão tratando de questões que não exigem este nível de privacidade. Esta aparência de segredo — mesmo que sem intenção — é algo que a Direção deveria se esforçar para evitar.

7. Como você balanceará seu trabalho na Direção com outras funções na OTW, ou como você planeja passar seus cargos atuais adiante para focar no trabalho da Direção?

No momento estou trabalhando como membro da equipe nos comitês de Abuso e Tradução. Fico satisfeita por trabalhar em comitês com uma estrutura sólida o bastante que sei que posso me afastar das minhas funções sem causar nenhum grande inconveniente para o resto da equipe. Sei que podem assumir a minha parte do trabalho sem precisar fazer nenhuma reestruturação significativa.

No Tradução trabalho como membro da equipe, que é uma função mais administrativa, e como tradutora. Se for eleita vou manter uma posição no comitê de Tradução, porque acho o trabalho satisfatório. O sentimento de comunidade que encontro nele também me ajuda a lembrar porque a OTW é tão importante para mim. Sinto algo parecido pela equipe de Abuso, e valorizo a oportunidade de interagir e ajudar usuárixs do AO3, mesmo que em circunstâncias delicadas e não muito felizes. Odiaria ter que me afastar de qualquer uma das minhas funções; entretanto, se o trabalho com a Direção demonstrar ser muito exaustivo para que eu continue nos dois comitês, então me afastaria da equipe de Abuso.

Biografia e Manifesto de Daniel Lamson

Editado para adicionar em 29 de Setembro: Per Anúncio de Dan, Dan Lamson se retirou da votação.

Biografia

Dan Lamson é o diretor executivo de uma pequena organização com fins não econômicos na Flórida, EUA, voltada a problemas locais de meio ambiente e qualidade de vida. Ele se formou na Ursinus College em 2007 com bacharelado em Política e Relações Internacionais e ênfase em escrita criativa . Ele, então, trabalhou arrecadando dinheiro para um abrigo para sem-tetos por cinco anos, ajudando a angariar muito do orçamento de $300.000,00 da organização. Dan utilizou sua experiências em organizações com fins não econômicos para ajudar a OTW (Organização para Obras Transformativas), liderando e co-liderando o comitê de Desenvolvimento e Membros pelo último ano. Ele tem experiência trabalhando com a Direção, além da equipe e voluntárixs. Dan entende completamente a responsabilidade que ele pretende assumir. Dan ama viajar e gosta de conhecer novas pessoas e aprender coisas novas. Ele gosta de jogar vídeo games e participa de diversos fandoms, incluindo Star Wars, Harry Potter, Marvel, e Warcraft.

Manifesto

1. Por que você decidiu concorrer à Direção?

Eu amo a OTW desde que eu a descobri. Eu comecei minha carreira na OTW no comitê de Abuso quando vi um post no Tumblr anunciando que eles estavam recrutando. Depois, eu ingressei no comitê de Desenvolvimento e Membros porque sempre gostei de arrecadação de fundos; atualmente, sou um dos co-líderes do comitê. Por causa dessas funções, além das minhas interações com outros comitês, acabei por ver e entender mais da OTW.

Com a expansão do meu papel na OTW, passei a apreciar o trabalho, as pessoas e os projetos cada vez mais e quero retribuir isso o máximo possível. Sempre fui motivado a servir e sinto que, com minha experiência relevante tanto na vida como na OTW, serei uma boa adição à Direção. Eu sei que minhas experiências e entusiasmo me farão um membro eficiente da Direção e colaborador.

2. Que habilidades e/ou experiências você trará para a Direção?

Minha vida profissional inteira foi dedicada a organizações sem fins lucrativos. Eu trabalho com Direções há anos na ‘vida real’ e entendo a importância das responsabilidades que elas demandam. Eu trarei experiência, nesse sentido, à Direção. Ainda, sou uma pessoa muito otimista. Sempre vejo o lado bom das coisas e sinto que, com uma boa atitude, muito pode ser feito. Eu não estou envolvido com a OTW há tanto tempo quanto outras pessoas, o que não considero ser um prejuízo para minha candidatura. Sinto que trarei um novo olhar e uma abordagem diferente para a resolução de problemas que não somente ajudará a OTW a crescer, mas também a ter uma nova visão de problemas passados e atuais.

3. Que objetivos você gostaria de atingir durante seu mandato?

Eu acredito em comunicação aberta e em avançar com as coisas numa velocidade razoável. Gostaria de ver a Direção se tornar mais acessível e comunicativa, se eleito. Quando comecei a me voluntariar para a OTW, a ideia “da Direção” me intimidava. Membros da direção eram envolvidos, mas desinteressados. Isso tem melhorado recentemente, mas quero ajudar a cultivar uma cultura em que isso não aconteça e que a Direção seja acessível para qualquer interessado, para facilitar diálogos construtivos. Eu sinto que a desmistificação da Direção ajudará a fortalecer a organização.

Além disso, gosto de fazer as coisas acontecerem. Não há nada como riscar algo da sua lista de afazeres. Sinto que a OTW, às vezes, anda muito devagar. É assim que as coisas têm que ser, algumas vezes, mas acho que há momentos em que a organização poderia alcançar seus objetivos mais rapidamente. Minha meta geral é encorajar eifciência sem impactar a qualidade do trabalho da Direção e da organização como um todo.

4. Qual é a sua experiência com os projetos da OTW e como você colaborará com os comitês relevantes para lhes dar apoio e fortalecer? Por favor, inclua AO3, TWC, Fanlore, nosso trabalho de Legal Advocacy (Assistência Jurídica), e Open Doors (Portas Abertas), mas sinta-se livre para enfatizar áreas nas quais você tem mais interesse em particular.

Já fui voluntário no comitê de Abuso e, agora, trabalho como co-líder do comitê de Desenvolvimento e Membros. Antes, eu era um usuário ávido do Archive of Our Own – AO3 (Nosso Próprio Arquivo) e da Fanlore, quando necessário.

Serei o primeiro a dizer que não sei de tudo. Nem de perto. Como um membro da Direção, eu respeitaria vários projetos e seus comitês associados porque sinto que eles sabem o que eles precisam mais do que eu (como um potencial estranho) saberia. Se um projeto dissesse que precisa de algo para a continuidade de sua operação e explicasse para a Direção o motivo, eu mais do que provavelmente apoiaria tal medida. Eu não forçaria minha vontade num comitê ou projeto sem antes falar com eles. Posso dar sugestões, mas, no final das contas, cabe aos comitês/projetos determinar as operações do dia-a-dia dos problemas que a eles competem.

5. Escolha dois tópicos/problemas que você acha que devem ter alta prioridade para a OTW, tanto interna quanto externamente. O que esses tópicos significam para você e por que você os valoriza? Como você os fará parte do seu serviço?

Acho que os membros da Direção deveriam se envolver mais com a angariação de fundos do que tradicionalmente fazem. Isso inclui membros da Direção realizando uma contribuição anual para a organização. Todos os membros da Direção deveriam ter um conhecimento intrínseco da maneira que angariamos fundos e por que fazemos o que fazemos. Membros da direção também deveriam se comunicar mais com doadores diretamente e cultivar nossa rede de membros. Esse é um componente-chave de muitas Direções de organizações com fins não econômicos. A OTW é uma organização diferente de muitas, então alguns dos métodos tradicionais podem não funcionar, mas há muitas maneiras de alcançar participação da Direção na angariação de fundos. Se eleito para Direção, planejo continuar como parte do comitê de Desenvolvimento e Membros, de modo a facilitar a comunicação entre Direção e a angariação de fundos.

Nesse momento, a OTW se mantém bastante alheia de outras organizações lidando com problemas similares de liberdade de expressão, direitos autorais e cultura de fãs. Sinto que nós poderíamos nos comunicar com outras organizações e trabalhar em conjunto para alcançar mais. Nós somos fundamentalmente mais fortes juntos do que separados. Por exemplo, eu gostaria de cultivar relacionamentos mais próximos com organizações como o Comic Book Legal Defense Fund (Fundo de Defesa Legal dos Quadrinhos), a Wikimedia Foundation (Fundação de Wikimedia), a First Amendment Coalition (Aliança da Primeira Emenda), e muitas outras. Problemas de fandom e liberdade de expressão são tratados por diversas outras organizações e o auxílio de doadores é dividido entre muitas delas. Trabalhando com essas outras organizações que também apoio faz sentido para mim e eu gostaria de incentivar relações com elas.

6. Quais você acha que são as principais responsabilidades da Direção? Você é familiarizado com os requisitos legais para a direção de uma organização de fins não econômicos baseada nos EUA?

Sou familiarizado com os requerimentos legais para Direção de uma organização de fins não econômicos registrada nos EUA sob o tipo 501(c)(3) e acredito nos três deveres primários da direção: ‘dever de cuidado’, ‘dever de lealdade’ e ‘dever de obediência’.

Membros da Direção têm uma responsabilidade fiduciária para com a organização que eles integram. O ‘dever de cuidado’ significa que os membros da Direção devem se importar com todas as pessoas que a OTW toca, todas as suas atividades, e devem ser servidores de sua missão. O ‘dever de lealdade’ significa que membros da Direção devem colocar a OTW sobre seus próprios interesses, caso os dois conflitem-se. Finalmente, o ‘dever de oficiência’ quer dizer que a organização não econômica faz o que deve fazer legalmente e eticamente, e que se mantém em e trabalha para sua missão. Eu também acredito firmemente que um membro da Direção deve advogar para a organização

7. Como você balanceará seu trabalho na Direção com outras funções na OTW, ou como você planeja passar seus cargos atuais adiante para focar no trabalho da Direção?

No momento, sou co-líder do comitê de Desenvolvimento e Membros junto com uma pessoa muito talentosa e competente. Planejo há vários meses deixar o cargo depois da Campanha de Outubro da OTW para que outras pessoas possam ser ouvidas no comitê. Esse é o acontecimento precursor para uma trilha de liderança no comitê, para que procedimentos e conhecimentos institucionais não se percam. Planejo continuar no comitê como membro da equipe para ajudar com angariação de fundos e cultivar nosso conjunto de membros daqui para frente.

Biografia e Manifesto de Nikisha Sanders

Editado para acrescentar: Por este anúncio, Nikisha Sanders foi removida da lista de candidatos de 2015 para a Direção dad OTW.

Biografia

Nikisha Sanders tem um bacharelado em sociologia e antropologia da Ealrham College, onde escreveu uma tese sobre a representação de gênero entre mulheres que fazem parte da comunidade LGBTQ+. Ela trabalhou como ativista para educação e conscientização da AIDS, pressionou por direitos LGBTQ+ nos níveis locais e estaduais como organizadora para a Fairness Campaign (Campanha da Justiça), e serviu como membro da diretoria da coligação de Kentucky de Jobs with Justice (Trabalhos com Justiça). No período de 2007 a 2011, ela serviu como membro da equipe do comitê financeiro na OTW – Organization for Transformative Works (Organização para Obras Administrativas). Atuou na direção de 2011 a 2014, foi a líder do Comitê Financeiro de 2011 a 2015 e juntou-se ao Comitê de Desenvolvimento e Membros como membro da equipe no início de 2015, trazendo experiência em administração de organizações sem fins lucrativos, angariação de fundos, contabilidade financeira e um interesse pessoal em alcance a comunidades de fãs não-brancas para cada papel. Ela se juntou a fandom online em 2000 como ávida leitora de fanfics de Buffy the Vampire Slayer e escreve fanfictions para fandoms de várias séries de televisão e filmes desde 2006. Mais recentemente, seus interesses na área de fãs cresceu na inclusão de fan vídeos, histórias em quadrinho online, e o Marvel Cinematic Universe.

Manifesto

1. Por que você decidiu concorrer à Direção?

Eu servi a Direção durante três anos depois de ser eleita em 2011. Tenho pensado há meses na decisão de me candidatar novamente depois de um ano servindo a OTW e como membro regular da equipe. Serei sincera: eu ainda não tenho certeza se esta é a melhor decisão. Cometi erros na primeira vez. Tenho certeza que irei cometer erros desta vez. O que eu sei, no entanto, é isso: para cada erro que cometo, eu também faço esforços para me desculpar por ele, corrigi-lo em ação ou pensamento e ser responsável por ele.

Durante meu primeiro mandato, fui capaz de dar voz a membros da equipe da Direção quando outrxs Diretorxs não falavam por eles ou não os ouviam. Fui capaz de criar e manter relacionamentos com um número de comitês e indivíduos que se sentiam alienados da Direção, deixando esses relacionamentos muito mais fortes. Fui capaz de dar apoio concreto para a implementação de vários projetos e práticas que mudaram as operações internas da organização para melhor.

Acredito que não só posso fazer isso outra vez como também que isso é muito necessário. Eu discordo do caminho que a Direção de 2015 tomou. Eles operaram de uma maneira menos transparente do que antes, revertendo o progresso feito durante minha gestão de discutir mais problemas em reuniões abertas da Direção e da equipe. Eu pessoalmente vi a falta de conexão entre comitês e membros da Direção. Eu vi pouco ser feito para providenciar uma interação regular com membros da equipe que não são líderes, e em vez disso vi uma Direção fazendo decisões que impactam tarefas delegadas para comitês com pouco entendimento ou compromisso com tal tarefa. Isso só pode ser mudado de dentro.

2. Quais habilidades e/ou experiências você trará para a Direção?

Minha experiência de carreira inclui 20 anos na área de organizações sem fins lucrativos, servindo de tudo desde voluntária a diretora executiva. Minhas responsabilidades incluíram angariação de fundos, supervisação e orientação de voluntárixs, alcance, administração de finanças e coordenação de reuniões, entre outras coisas. Devido a minhas várias posições na OTW, antigas e recentes, eu também tenho experiência em cumprir cada uma dessas responsabilidades dentro da organização.

Como membro da organização da OTW, eu fui uma de dois Diretorxs responsáveis por construir o primeiro grupo de trabalho de Planejamento Estratégico e ajudei a desenvolver e implementar as primeiras fases do planejamento estratégico. Eu trabalhei com o Comitê de Voluntárixs e Recrutamento para assegurar o Código de Conduta e Procedimento de Ação Corretiva Construtiva, adicionando proteção para todo o pessoal da OTW. Além disso, eu defendi as mudanças de política de recrutamento e iniciação do Comitê de Voluntárixs & Recrutamento. Dentro da Direção, eu ajudei outrxs Diretorxs em suas respectivas pressões para aumentar a documentação da Direção, reuniões abertas da Direção e arrumar espaço para políticas de resoluçãoões de conflitos, aumentando a responsabilidade de todas a equipe, incluindo membros da Direção.

Cada uma dessas realizações resultou em políticas sob as quais eu trabalhei pela maior parte de 2015 como membro da equipe regular e como uma Responsável independente da Direção. Eu vi em primeira mão os pontos fortes e fracos e as repercurssões das decisões que fiz enquanto na Direção e como tais coisas impactaram a equipe e o trabalho dos comitês. Essa perspectiva é uma que poucas pessoas na OTW têm— retornar para a equipe depois de servir na Direção é um ato raro— e é um do qual a Direção se beneficiaria muito.

3. Quais objetivos você gostaria de atingir durante seu mandato?

Eu quero organizar a OTW para que possa ser vital em cinquenta anos, começando com a implementação do plano estratégico e tentando contratar uma equipe de nível executivo. No mínimo, eu nos vejo com o seguinte: presidente, diretorx financeirx, diretorx técnicx ou umx programadorx líder e coordenadorx líder de sistemas/analista, conselho legal interno, e diretorx de recursos humanos. Idealmente, a prioridade será dada para promover membros da equipe da OTW que já estão servindo em papéis similares para posições de contrato pagos em tempo integral ou parcial. Junto desse objetivo, eu gostaria de ver nossa atual equipe ser capaz de reduzir suas horas voluntariadas para um número mais balanceado e administrável quanto possível.

Nossa sustentabilidade também depende da expansão da nossa capacidade de angariação de fundos e expansão. O comitê de Desenvolvimento e Membros já tem grandes ideias para isso e eu quero vê-las implementadas, especialmente construir um programa de doação maior, estruturação de doações em testamento e doações planejadas futuras e o aumento da presença da representação da OTW em convenções e conferências. Como membro da Direção, eu os apoiaria na construção de um plano sólido para essas coisas e trabalhar com outros membros da Direção atuais e eméritos para encontrar as melhores oportunidades tanto para a conexão com apoio existente e potencial quanto para promover os projetos da OTW para novas audiências.

Finalmente, no final de minha gestão, eu quero ver a Direção funcionando primariamente de uma maneira mais próxima de uma equipe de direção tradicional, focando no panorama geral de governo. Para chegar lá, a Direção deve melhorar as habilidades administrativas de Diretorxs e encontrar o balanço entre negligência benigna e microadministração. A incorporação de treinamento de fora e a construição de um comitê gestor de equipe veterana, líderes e contratantes permitirá uma abordagem melhor para administração enquanto dá liberdade à Direção para focar nos objetivos de longo prazo da organização.

4. Qual é a sua experiência com os projetos da OTW e como você colaborará com os comitês relevantes para lhes dar apoio e fortalecer? Por favor inclua Archive of Our Own – AO3 (Nosso Próprio Arquivo), Transformative Works and Cultures – TWC (Culturas e Obras Transformativas), Fanlore, nosso trabalho de Legal Advocacy (Assistência Jurídica) e Open Doors (Portas Abertas), mas sinta-se livre para enfatizar áreas nas quais você tem mais interesse em particular.

Como membro da Direção, e depois como Tesoureira, de alguma forma eu trabalhei com todos os comitês da OTW e estou bem familiarizada com todos os nossos projetos. Sei por experiência que meu papel como Diretora seria, principalmente, seguir os comitês, confiar em sua competência e ter respostas a seus pedidos, assim como, às vezes, fazer as perguntas difícieis para ter certeza de que o trabalho deles cumpre a missão geral e as necessidades da organização, assim como os requerimentos legais que nós encaramos como uma Organização.

Um exemplo específico disso é o que aconteceu no final do ano passado e no início de 2015. Um projeto, que certamente cabia dentro de nossa missão e objetivos, foi proposto, porém sua proposta não abordou a colaboração necessária com outros comitês e não levou em consideração algumas das repercurssões financeiras do plano. Eu fui capaz de trazer essas questões à tona e discutir com os comitês meios de abordar essas brecha, levando a um entendimento maior do projeto, suas necessidades e seu impacto potencial em toda a organização.

No geral, eu acho que esta é uma das melhores coisas que eu posso fazer: trabalhar com cada comitê, de acordo com suas necessidades, para ver perspectivas diferentes em seus trabalhos e ajudá-los a conectar esses projetos com nossos objetivos gerais compartilhados.

5. Escolha dois tópicos/problemas que você acha que devem ter alta prioridade para a OTW, tanto internamente quanto externamente. O que esses tópicos significam para você e por que você os valoriza? Como você os fará parte de seu serviço?

Minha abordagem fundamental é trabalhar com a OTW por uma lente de finanças e angariação de fundos, e essas são áreas que eu acredito que devem ter prioridade alta internamente. Nós estamos na melhor forma tanto em termos de habilidade de angariação de fundos quanto administração de finanças que já estivemos. Nós precisamos manter ambos os estados, assim como expandir nossa capacidade de arrecadação de fundos para incorporar atividades diferentes: a criação de um programa de doações maior, a estruturação de doações em testamento e adição de mais contas remuneradas aumentariam nosso rendimento.

Externamente, eu gostaria de ver a OTW construir mais relações com comunidades de fãs em espaços online e offline. Meu interesse particular é aumentar nossa presença em convenções, conferências e outros lugares públicos. A habilidade de se conectar pessoalmente com outros fãs é um privilegio e nós temos os meios para fazer isso possível para nossa equipe e voluntários, enquanto provemos o trabalho da OTW. Nós podemos usar essas plataformas para organizar painéis, providenciar oradores principais e acessar outras oportunidades para começar ou continuar o diálogo sobre obras de fã, os obstáculos legais que encaramos como criadorxs, os campos acadêmicos emergentes para estudos de fãs e a importância de preservar histórias e artefatos de fãs. Meu objetivo é trabalhar com Desenvolvimento & Membros e a Direção para construir um programa de extensão focado e tomar vantagens das oportunidades que nós temos para promover e interligar nosso trabalho.

6. O que você acha que as principais responsabilidades da Direção são? Você está familiarizada com os requisitos legais para direção de uma organização de fins não econômicos baseada nos EUA?

Estou bem familiarizada com os requerimentos legais para uma direção sem fins lucrativos, tendo servido em duas antes de me juntar à OTW, tanto quanto membro de equipe representativa quanto como Diretora, e tendo trabalhado com várioas outras em meus mais de vinte anos no campo de organizações sem fins lucrativos.

A questão de responsabilidades-chave, para mim, se divide em duas áreas. Primeiro, há as responsabilidades legais estritas e fiduciárias de boa governança, os deveres de lealdade, cuidado e obediência que guiam a adminiistração financeira e de recursos. Esses são os princípios básicos da administração de uma organização sem fins lucrativos. Em segundo lugar, eu acredito que as diretorias têm responsabilidades mais nebulosas e complicadas do que as pessoas com quem e para quem elas trabalham. Essas incluem principalmente honestidade e compromisso; estar disponível para suporte à equipe; orientação e guia, e colaboração; e manter os olhos abertos ao panorama geral enquanto fazer todos os esforços razoáveis para entender os detalhes, a fim de estabelecer um plano para sustentar a organização no futuro.

7. Como você balanceará seu trabalho na Direção com outras funções na OTW, ou como você planeja passar seus cargos atuais adiante para focar no trabalho da Direção?

Já renunciei minha posição de Tesoureira, o que tinha a intenção de fazer antes do final do ano de qualquer forma. Eu pretendo, independentemente do resultado da eleição, permanecer como parte da equipe de Desenvolvimento e Membros. Dado que a carga de trabalho de Desenvolvimento e Membros é baixa fora das duas campanhas anuais, e meu desejo de ver a Direção ter um papel maior em angariação de fundos, eu não tenho preocupações em balancear o requerimento das duas ocupações.

Biografia e Manifesto de Matty Bowers

Biografia

Matty encontrou fandom pela primeira vez em maio de 1998; contudo, ela não se envolveu realmente até 2001. Seus primeiros fandoms foram Highlander e Buffy, mas ela logo passou por vários outros fandoms. Atualmente ela é uma fã de fandom; ela vê quase qualquer obra de tamanho épico em qualquer fandom! Matty passou os primeiros anos observando, mas eventualmente começou a contribuir para projetos de fã como newsletters e comunidades de recomendações. Ela ficou fascinada e intrigada quando ouviu planos sobre construir um lugar onde o fandom tivesse os servidores , e se juntou à OTW (Organização para Obras Transformativas) como organizadora de tags na chamada para voluntárixs feita em 2009. Desde então ela trabalhou nos comitês de Suporte, Documentação para o Archive of Our Own – AO3 (Nosso Próprio Arquivo), e Abuso. Matty é graduada em Educação e passou dez anos dando aulas antes de mudar para um trabalho na área de tecnologia. Ela trabalha atualmente como gerente de um negócio local, e no tempo livre trabalha com suporte técnico de muitxs amigxs e família.

Manifesto

1. Por que você decidiu concorrer à Direção?

Servi na OTW como voluntária , membro da equipe, e líder de vários comitês em situações diferentes—trabalhei com times funcionais e não funcionais, e aprendi o que é preciso para melhorar. Isso nem sempre foi fácil, mas estou disposta a fazer o trabalho necessário. Junto com alguns membros maravilhosos, ajudei a transformar tanto Suporte como Abuso em comitês prósperos, antes não funcionais. Essa experiência me ajudou a entender como a OTW funciona, ou não funciona, em muitos níveis. Acredito que atingimos um ponto crítico no desenvolvimento da OTW e quero ajudar a Direção e a OTW a crescerem e seguirem em frente.

2. Quais habilidades e/ou experiências você trará para a Direção?

Ao longo da minha carreira, tanto como professora quanto como administradora, ganhei vasta experiência em lidar com pessoas em situações variadas como prazos e necessidades diferentes. Comunicação rápida e eficiente é uma parte fundamental de ensinar; essa é outra qualidade que acredito que me servirá bem na Direção. Trabalhar com educação básica também ensina como lidar com múltiplos projetos e fazer as coisas funcionarem.

Essas experiências me serviram bem quando encarei a tarefa de recuperar Suporte, depois Abuso, quando estavam à beira do colapso. Ambos os comitês estavam sobrecarregados com a carga de trabalho e sofriam com uma severa falta de membros. Com a ajuda de alguns membros de equipe maravilhosos, fui capaz de melhorar nossa carga de trabalho e treinamento, criar meios mais efetivos de comunicação com outros comitês, e manter um núcleo estável de voluntárixs para responder às necessidades de nossxs usuárixs de um modo muito mais rápido. A fundação construída deve ajudar ambos os comitês a crescerem quando a demanda de usuárixs aumentar. Estou muito orgulhosa desse trabalho, e dos times que construímos juntxs.

Acredito que a Direção também atingiu um ponto crítico, e acredito que as lições aprendidas trabalhando em Suporte e Abuso vão ser de grande valia quando servindo na Direção

3. Quais objetivos você gostaria de atingir durante seu mandato?

Uma das primeiras coisas que precisamos fazer é observar onde estamos e aprender o que comitês precisam da Direção. Para fazer isso, é importante envolver todxs xs líderes em um diálogo sobre o estado da OTW e seus comitês. Gostaria de ser parte de uma Direção que tem este diálogo com líderes — que está ciente de problemas correntes e pode promover integração e colaboração entre líderes para obter soluções para problemas em comum.

Nos últimos anos tivemos problemas com consistência. Alguns comitês parecem estar florescendo, enquanto outros continuam a ter problemas. É imperativo que a OTW encontre um equilíbrio e garanta que todos os seus comitês e a Direção trabalhem juntxs quando eu terminar meu mandato. Nossa comunicação interna e externa frequentemente parece fraturada; isto atrapalha o progresso dos nossos projetos e de um ambiente feliz e produtivo para nossxs voluntárixs. Isto precisa mudar, e acho que o primeiro passo essencial é que a cultura da Direção mude.

4. Qual é a sua experiência com os projetos da OTW e como você colaborará com os comitês relevantes para dar apoio a eles e fortalecê-los? Por favor inclua Archive of Our Own – AO3 (Nosso Próprio Arquivo), Transformative Works and Cultures – TWC (Culturas e Obras Transformativas), Fanlore, nosso trabalho de Legal Advocacy (Assistência Jurídica) e Open Doors (Portas Abertas), mas sinta-se livre para enfatizar áreas nas quais você tem mais interesse em particular.

Trabalhei com Suporte, Documentação para o AO3, Abuso e Organização de Tags por vários anos, e como líder colaborei frequentemente com membros de Acessibilidade, Design e Tecnologia (AD&T), Sistemas, Jurídico, Tradução, Comunicações, e Portas Abertas. Vi em primeira mão o quão dedicadas são todas as pessoas destes projetos, e o quão efetiva a colaboração entre elas pode ser, com os procedimentos adequados estabelecidos. Em um nível pessoal, gosto de trabalhar com Fanlore e devoro entusiasticamente cada edição da publicação acadêmica e considero ambas como recursos importantes de fandom.

Acho que a coisa mais importante que posso fazer como membro da Direção é encontrar do que cada projeto precisa e fazer meu melhor para acomodar isso. A Direção deveria estar pronta e disponível para oferecer recursos e informações para comitês e membros da equipe quando necessário, mas permitir que ajam sozinhos nas ações do dia a dia. Uma das primeiras coisas que gostaria de fazer como membro da Direção é entrar em contato com cada projeto e ter um diálogo aberto e honesto com relação a onde estão e onde querem chegar. Vou então fazer destas necessidades uma prioridade e garantir que todos os projetos tenham as ferramentas, membros, e recursos de que precisam para ter sucesso.

5. Escolha dois tópicos/problemas que você acha que devem ter alta prioridade para a OTW, tanto internamente quanto externamente. O que esses tópicos significam para você e por que você os valoriza? Como você os fará parte de seu serviço?

Gostaria de ver mais transparência e comunicação entre a Direção e xs voluntárixs e membros da OTW. Voluntárixs da OTW deveriam entender porque a Direção toma as decisões que toma e o que está planejando para o futuro. Não apenas a maior transparência permite uma maior prestação de contas dos membros da Direção, também dá a membros da equipe e voluntárixs um melhor entendimento do que está acontecendo na organização. Ser capaz de ver o panorama geral permite que todxs vejam como seus esforços estão moldando a OTW, e se sintam mais engajadxs na organização como um todo.

Também gostaria de garantir que cada comitê tenha a ajuda e os recursos de que precisa para ter sucesso. Pelas minhas experiências passadas, sei exatamente o quão difícil é ser líder de um comitê sem membros suficientes ou ferramentas apropriadas. Acho que é essencial que comitês que desesperadamente precisam de novas ferramentas para fazer seu trabalho recebam suporte e aprovação para as implementar da Direção em um tempo razoável. Comitês deveriam ser capazes de ter todas as suas contas pagas a tempo. Membros de equipe deveriam ser aprovados em um prazo razoável. Emails deveriam ter respostas rápidas. Não é isso que vem acontecendo, e é algo que espero mudar.

6. O que você acha que as principais responsabilidades da Direção são? Você é familiarizada com os requisitos legais para direção de uma organização de fins não econômicos baseada nos EUA?

Passei vários anos trabalhando para organizações de fins não econômicos offline e como líder de Suporte, pesquisei bastante de modo independente sobre os requisitos de organizações de fins não econômicos baseadas nos EUA.

A Direção precisa ser responsável por gerenciar a OTW e tomar decisões que sirvam aos interesses da organização e de seus membros. Acredito que é responsabilidade da Direção garantir que voluntárixs e membros sejam mantidxs cientes do que está acontecendo com a organização, das finanças até as decisões diárias da Direção. Precisamos garantir que a OTW esteja em uma posição estável para cumprir sua missão de servir aos interesses de fãs provendo acesso para e preservando a história de obras de fã e cultura de fã em suas múltiplas formas.

7. Como você balanceará seu trabalho na Direção com outras funções na OTW, ou como você planeja passar seus cargos atuais adiante para focar no trabalho da Direção?

Recentemente deixei tanto Organização de Tags quanto Suporte, e comecei um programa de treinamento para líder do Abuso. Ao começo do próximo termo, devo ter umx novx co-líder de Abuso. Ao fim do próximo termo, devemos ter vários outros membros que terminaram o treinamento de líder; um desses membros sortudos vai se juntar como co-líder, permitindo que eu me afaste das tarefas como membro de equipe. Meu objetivo é permanecer com Abuso em alguma função para manter-me em contato com as preocupações do comitê. Sinto que é importante que membros da Direção se mantenham envolvidos e entendam as necessidades dos comitês. Permanecendo com Abuso, um comitê do Archive of Our Own – AO3 (Nosso Próprio Arquivo) que trabalha com outros comitês da AO3 assim como diretamente com xs usuárixs, me permitiria permanecer conectada com essas outras partes da OTW e com xs usuárixs do AO3.

Biografia e Manifesto de Atiya Hakeem

Biografia

Atiya Hakeem (Lady Oscar) fez sua graduação em biologia no California Institute of Technology (Instituto de Tecnologia da Califórnia – Caltech), e então foi para a University of Hawaii (Universidade do Havaí) para obter um PhD em ciências biomédicas. Depois de trabalhar na Caltech como neurobióloga estudando autismo e cognição social por muitos anos, ela recentemente voltou para o Havaí, e hoje passa o tempo com aardvarks como voluntária no Zoológico de Honolulu. Ela sempre procurou o fandom como um espaço de escapismo e saída criativa, com interesses que incluem Star Trek, baseball, a era das navegações, Hawaii Five-O, e anime, este último a levou a trabalhar na equipe da Anime Expo e AX New York. Ela entrou para a OTW (Organização Para Obras Transformativas) como voluntária em 2012, como parte do Suporte do Archive of Our Own – AO3 (Nosso Próprio Arquivo) e desde então já respondeu a cerca de 5 mil perguntas de usuárixs. Motivada por um desejo de envolver-se diretamente no funcionamento e manutenção do AO3, ela entrou para o Acessibilidade, Design e Tecnologia (o comitê de design e programação do AO3) fazendo testes, e agora é a líder do subcomitê de Garantia de Qualidade e Testes. Ela também já trabalhou nos grupos de trabalho de Mudança de Categoria e Pesquisa.

Manifesto

1. Porque você decidiu participar da eleição para Direção?

Depois de passar os últimos três anos e meio trabalhando para OTW, eu cheguei a um ponto em que eu gostaria de usar essa experiência e o conhecimento que adquiri para ajudar a liderá-la. Nós não somos uma organização sem fins lucrativos genérica – nossa posição como um grupo internacional, virtual e voltado para fandoms nos torna incomuns, assim como a natureza extremamente diversificada, porém interligada, dos nossos projetos. Eu acredito que seja de importânciavital para o futuro da OTW ter uma Direção que entenda as características particulares da OTW e dxs voluntárixs, e estou em uma posição para fornecer um pouco deste entendimento.

2. Quais habilidades e/ou experiência você pode trazer para Direção?

Acima de tudo, eu trago a minha experiência dentro da própria OTW. Como veterana da equipe de Suporte, eu tenho uma boa noção das preocupações dos nossos membros, além de uma grande experiência lidando com essas preocupações de uma maneira prestativa e profissional. Eu interagi amplamente com a comunidade de fãs através de respostas a solicitações de Suporte, comentários em Posts de Notícias, e o status do AO3 no Twitter. Como membro do AD&T, eu experimentei os desafios de organizar um projeto envolvendo vários comitês. Embora meu trabalho tenha ocorrido principalmente no AO3, eu já tive a oportunidade de conhecer e interagir com voluntárixs de várias áreas da organização nos grupos de trabalho de Reestruturação de Categorias e Pesquisa, chats pertinentes, e espaços sociais da OTW.

Com relação à vida real, eu tenho duas fontes relevantes de experiência. Primeiro, eu passei muitos anos trabalhando em um ambiente de laboratório acadêmico. Assim eu ganhei experiência com controle de orçamento, planejamento de projetos, gestão de pessoal, e tutoria e treinamento. Em segundo lugar, eu tenho experiência com diversas organizações sem fins lucrativos, tanto como membro quanto como doadora, e vi em primeira mão as práticas sem fins lucrativos aplicadas “no mundo real” que funcionam ou não para elas.

3. Quais objetivos você gostaria de alcançar durante o seu mandato?

  • Agilizar os processos para que qualquer questionamento feito à Direção seja respondido rapidamente, e que decisões sejam tomadas prontamente
  • Trazer todos os debates e processos de tomada de decisão da Direção para espaços abertos, exceto em casos de assuntos confidencias ligados a equipe
  • Melhorar a organização financeira, incluindo criar previsões orçamentárias e transparência
  • Ser parte de uma Direção em que todos os membros trabalhem em parceria de forma produtiva e profissional

4. Qual a sua experiência com os projetos da OTW e como você colaboraria com os comitês relevantes para dar apoio e fortalecê-los? Por favor, inclua AO3, TWC, Fanlore, nosso trabalho de Legal Advocacy (Assistência Jurídica), e Open Doors (Portas Abertas), mas fique à vontade para enfatizar qualquer área de seu interesse.

Minha experiência primária foi com o AO3, como parte do Suporte e do Acessibilidade, Design e Tecnologia (AD&T). Como membro do AD&T, eu colaborei com quase todos os comitês do AO3, pois trabalhamos juntxs para manter e melhorar o AO3. Isso inclui o projeto Portas Abertas, já que o AD&T ajuda o Portas Abertas no seu trabalho de importar arquivos em risco para o AO3. Minha experiência significa que eu conheço íntima e continuamente o que os comitês do AO3 precisam ou não com relação a assistência e supervisão da Direção, e eu espero poder utilizar este entendimento para ajudar a Direção como um todo. Como o AO3 é tanto o maior consumidor dos recursos da OTW, quanto o projeto de maior projeção para atrair doações, eu acredito que seja de importância vital que a Direção o entenda e dê apoio.

Fanlore é um projeto que enfrenta alguns dos mesmos desafios técnicos que o AO3, mas com problemas ainda maiores de financiamento e pessoal. Eu gostaria de ajudá-los a estabelecer um apoio mais forte, dando maior liberdade para equipe se concentrar nos objetivos do projeto.

Transformative Works and Cultures – TWC (Culturas e Obras Transformativas) e o Jurídico são atualmente muito funcionais e eficientes. Como observadora externa e na minha relação com o Jurídico quando precisei de ajuda com solicitações de Suporte, eu fiquei impressionada com o profissionalismo e competência do trabalho realizado pelas equipes. Eu acredito que o melhor que eu posso fazer por esses comitês como membro da Direção seria simplesmente apoiá-los da forma que eles pedirem.

5. Escolha dois tópicos/problemas que você acredita que deveriam ser de alta prioridade para OTW, tanto interna quanto externamente. O que estes tópicos significam para você e porquê você os valoriza? Como você os tornará parte do seu trabalho?

Eu acho que a maior prioridade para OTW no momento é organizar melhor a nossa casa. Nossa administração financeira precisa ser mais sustentável: não ter só uma pessoa controlando as nossas contas sem nenhuma auditoria, e mais nenhum levantamento de fundos sem um planejamento concreto para os gastos previstos e orçamentos esperados. Isso é algo que as organizações sem fins lucrativos da “vida real” com as quais estive envolvida fazem bem, e eu pretendo usar seu trabalho como modelo.

O nosso ambiente de voluntariado precisa ser mais saudável: reduzir a carga de trabalho, oferecer melhores ferramentas, melhorar a comunicação, um melhor fluxo de informações da Direção para os comitês.

Trabalhando no AO3, eu frequentemente encontrei situações em que o nosso trabalho ficou mais difícil e a estabilidade existente do AO3 foi posta em risco pela falta de apoio da Direção. Decisões atrasadas impediram a compra de equipamentos vitais quando necessários, apesar do dinheiro estar disponível. Mudanças políticas feitas sem transparência e com entendimento insuficiente dos problemas resultando em queda na moral dxs voluntárixs e desvio nos objetivos dos projetos. Como uma diretora, estas experiências anteriores irão me guiar para trabalhar na melhoria do suporte para todos os nossos projetos e nossxs voluntárixs.

6. Quais são as principais responsabilidades de uma/da Direção? Vocês está familiarizada com os requisitos legais para um conselho de diretorxs para uma organização sem fins lucrativos sediada no Estados Unidos?

Eu pesquisei na internet os requisitos legais para um conselho de diretorxs para uma organização sem fins lucrativos sediada no Estados Unidos. Além disso, porém, o que nós precisamos da Direção é que seja um grupo com o qual nossxs voluntárixs possam contar para:

  • Manter-se informadxs sobre os projetos da OTW
  • Tomar decisões transparentes, bem informadas e em tempo hábil
  • Proporcionar controle fiscal responsável
  • Representar publicamente a OTW

7. Como você equilibraria a sua posição na Direção com outras funções exercidas na OTW, ou como você planeja transferir as suas funções atuais para se concentrar na Direção?

É importante que a Direção continue em contato com o funcionamento cotidiano dos comitês da OTW. Dessa maneira, eu não pretendo me afastar completamente das minhas funções atuais. O Suporte recentemente recrutou um grupo promissor de novos membros para equipe, e eu pretendo concentrar o meu envolvimento como tutora e oferecendo uma reserva de conhecimento, reduzindo o meu tempo de dedicação ao comitê. Como líder do QA&T eu pretendo recrutar um membro para equipe para ajudar com as tarefas de organização de voluntárixs; nós também estamos melhorando nossos testes automáticos, reduzindo o envolvimento necessário para realização de testes manuais.

No passado, eu exerci minhas funções ao mesmo tempo em que trabalhava em tempo integral na vida real. No momento, eu estou tirando um tempo para me concentrar no meu trabalho voluntário e no desenvolvimento da minha carreira, o que deve me permitir dedicar todo o tempo necessário para os compromissos com a Direção.