Resultados da Eleição de 2017

O comité de Eleições gostaria de agradecer a todas as pessoas candidatas pelo seu trabalho árduo durante a eleição deste ano. Posto isto, é com prazer que apresentamos os resultados da Eleição de 2017.

As seguintes pessoas candidatas (por ordem alfabética) foram oficialmente eleitas para integrar a Direção.

  • Claire P. Baker
  • Danielle Strong
  • Jessie Camboulives

Os novos membros da Direção irão iniciar formalmente os seus mandatos a 1 de outubro. Desejamos-lhes sorte durante os seus mandatos.

Com isto, a temporada de eleições chega ao fim. Agradecemos a todas as pessoas que participaram espalhando a palavra, colocando questões às pessoas candidatas e, é claro, votando! Esperamos voltar a ver-vos novamente no próximo ano.

Este artigo de notícias foi traduzido pela equipa voluntária de tradução da OTW. Para saberes mais sobre o nosso trabalho, visita a página de Tradução em transformativeworks.org.

Biografia e Programa Eleitoral de Gimema Calixto

Biografia

Gimena Calixto é estudante universitária de Meios de Comunicação Audiovisuais e tem experiência na produção e participação em diversos projetos na área (trabalho de câmara, edição de vídeo e som, etc.), mas tem ainda mais experiência em ser fã dos mesmos. Ela tropeçou na fandom em 2002 e nunca mais saiu, os seus interesses abrangem tudo, desde anime a bandom, livros, banda desenhada e séries televisivas ao longo do tempo. A fandom tem lhe dado não só um meio para expressar a sua criatividade e uma forma de interagir com indivíduos semelhantes a si, mas também uma forma de melhorar muitas das suas capacidades e crescer como pessoa, através da troca de opiniões e conhecimento. Ser voluntária na OTW (Organização para Obras Transformativas) tem sido a sua forma de compensar a fandom. Ela juntou-se à OTW como organizadora de tags em 2016 e mais tarde juntou-se ao comité de Abuso.

(mais…)

Biografia e Programa Eleitoral de Claire P. Baker

Biografia

Claire P. Baker: De muitas formas, a primeira fandom de Claire foi José e o Deslumbrante Manto de Mil Cores, musical que ela já tinha praticamente memorizado aos quatro anos. No entanto, tudo começou a sério quando ficou obcecada com Digimon durante a sua transmissão original na televisão norte americana. A partir daí, Claire descobriu sites de fãs, ficção de fãs e cosplay; e o resto, como se costuma dizer, é história. Fandom tornou-se uma parte importante da carreira académica de Claire, refletindo-se em artigos que ela escreveu durante a obtenção dos seus três cursos (licenciatura em drama, licenciatura em educação e mestrado em ciências da informação), e permanece um grande interesse em investigação até aos dias de hoje. Bibliotecária de dia, Claire começou o seu trabalho voluntário na OTW (Organização para Obras Transformativas) em 2014 e tornou-se colíder do comité de Documentação para o Archive of Our Own – AO3 (O Nosso Próprio Arquivo) um ano depois. Desde então, juntou-se também à Transformative Works and Cultures – TWC (Culturas e Obras Transformativas) e à equipa de Organização de Tags. Quando não está ocupada com a OTW e assuntos bibliotecários, Claire pode ser muitas vezes encontrada a rever ficção de fãs, a coordenar várias trocas de presentes no AO3 e a preparar um exército de cosplays e painéis para a sua próxima convenção.

(mais…)

Biografia e Plataforma de Erica Dulin

Biografia

Erica Dulin é voluntária na OTW (Organização para Obras Transformativas) como organizadora de tags desde finais de 2014 e membro da equipa de Organização de Tags desde o início de 2016. Ela tem tido a oportunidade de trabalhar com um banco de pessoas voluntárias diversas em vários grupos de trabalho e projetos e adora conhecer pessoas e as coisas pelas quais são apaixonadas. Licenciou-se em Produção de Filmes e Televisão e as suas fandoms eternas são Achievement Hunter e Rick and Morty. Erica é uma verdadeira crente da liberdade de expressão e defenderá a dedicação da OTW de proteger o direito de fãs de partilharem todas as suas criações, independentemente das reações negativas que possam receber devido às suas obras.

Plataforma

1. Porque é que decidiu concorrer às eleições da Direção?

Queria garantir que haveria pessoas candidatas suficientes para haver uma eleição equilibrada e justa, para que os membros pudessem expressar a sua opinião acerca da evolução da OTW. Pessoas amigas na organização encorajaram-me a concorrer e eu fui facilmente convencida a fazê-lo. A direção atual e o comité de Planeamento Estratégico criaram um plano de três anos bastante realizável e eu acredito que poderia ajudar a mantê-lo em marcha e ajudar comités a defini-lo mais detalhadamente à medida que nos aproximamos de cada objetivo. Aprecio o esforço feito pela direção na criação de novos comités quando necessário e na ressurreição de comités mais antigos, como o de Finanças, e na procura pelos melhores membros de equipa para os mesmos. À medida que a OTW continua a crescer, gostaria de trabalhar com a direção para ajudar a assegurar que a organização reconhece e define claramente as suas responsabilidades como organização sem fins lucrativos e como local de trabalho, para ajudar as pessoas voluntárias a compreender os seus compromissos e para encorajar uma maior transparência acerca do funcionamento interno da OTW.

2. Que capacidades e/ou experiência irá trazer para a Direção?

Aperfeiçoados pelas minhas experiências no meu comité, os meus pontos fortes são interagir com colegas de trabalho e manter-me a par de fases de projetos e de cronologias. Trabalhar em vários tipos de grupos com tipos diferentes de objetivos ensinou-me a explicar-me cuidadosamente, a ouvir e a chegar a um compromisso se necessário. Algo importante que aprendi foi a enfrentar qualquer confusão na sua origem antes de continuar em frente. A OTW funciona melhor quando todas as pessoas trabalham a partir da mesma informação ou pressuposto, quer concordem com a solução desde o início ou não. Também usamos muitas vezes autópsias, discutindo o que funcionou e o que não funcionou com a metodologia do projeto, debatendo ideias, identificando áreas a melhorar e documentando as decisões tomadas para não termos de reinventar a roda de cada vez que um problema semelhante emerge.

3. Escolha um ou dois objetivos para a OTW que considera importantes e nos quais teria interesse em trabalhar durante o seu mandato. Porque é que considera estes objetivos importantes? Como trabalharia com outras pessoas para os atingir?

Infraestrutura Mais Forte e Aumento da Participação, Retenção e Desenvolvimento das Pessoas Voluntárias são literalmente a base de todos os projetos da OTW; sem infraestrutura ou pessoas voluntárias, não existimos. Gostaria de continuar os objetivos do comité de Planeamento Estratégico de nos certificarmos que todos os projetos e seus subcomités conseguem definir claramente as suas funções e partilhar esta informação tanto internamente como com o público. Como membro da direção, gostaria de me certificar de que os comités relevantes comunicam entre si dentro de uma cronologia predeterminada e eu agiria como um par de olhos extra para rever as suas conclusões. Gostaria de construir mais atividades sociais para ajudar à retenção de pessoas voluntárias; muitos comités estão a trabalhar nisto independentemente e eu gostaria de me certificar que todas as pessoas têm acesso a estas ideias e ao que funcionou e não funcionou no passado.

4. Qual é a sua experiência com os projetos da OTW e como irá colaborar com os comités relevantes para os apoiar e reforçar? Tente incluir uma variedade de projetos; contudo, sinta-se à vontade para enfatizar certos projetos com os quais tenha experiência.

Como pessoa organizadora de tags, trabalhei com os comités do Archive of Our Own – AO3 (O Nosso Próprio Arquivo) e do Open Doors (Portas Abertas). Como fã, editei artigos na Fanlore e leio com entusiasmo todas as notícias publicadas pela equipa Legal. Ter definições claras de projetos é importante e ouvir e fazer perguntas é uma grande parte disso. Uso frequentemente ferramentas da OTW no meu trabalho como membro da equipa de Organização de Tags, que implica comunicação tanto inter- como intracomité. Isto pode envolver desde pedir ao comité de Tradução que nos ajude com tags, a trabalhar com pessoas coorganizadoras de todo o mundo para decidir a colocação de tags em subfandoms e a formatação de tags canónicas. Estar aberta a sugestões e ser clara e paciente com questões tem feito toda a diferença na minha experiência de organização e apesar de poder ser frustrante resolver um problema, é muito gratificante quando nos juntamos para o resolver. A própria OTW tem uma infraestrutura de comunicação com a qual me tornei bastante familiar, desde mailing lists a plataformas de conversa aberta, e eu tenho usado estas ferramentas para saber do que é que as pessoas organizadoras e outros comités precisam para os seus objetivos e para resolução de problemas, o que ajuda a tomar decisões bem informadas que esperamos que resultem a longo termo.

5. Como irá equilibrar o seu trabalho na Direção com outros papéis que desempenha na OTW, ou como planeia delegar os seus cargos atuais para se poder concentrar no trabalho de Direção?

Eu dou-me a mim mesma um bloco de tempo semanal para trabalhar na organização de tags e dou uma vista de olhos pelo menos alguns dias por semana. No meu comité, o trabalho é escolhido e controlado pela própria pessoa, por isso concentrar-me-ia em projetos mais pequenos e rápidos. Posso sempre pedir ajuda; os nossos membros de equipa estão muitas vezes disponíveis para ajudar ou dar uma segunda opinião quando necessário.

Biografia e Programa Eleitoral de Danielle Strong

Biografia

Danielle Strongcomeçou a sua incursão no mundo da fandom nos anos 90 com fanfic e fanart slash de Gundam Wing. Quase duas décadas e um número enorme de fandoms mais tarde, encontrou o seu lugar no Archive of Our Own – AO3 (O Nosso Próprio Arquivo) nas fandoms de Supernatural (Sobrenatural) e Marvel Cinematic Universe (Universo Cinematográfico da Marvel), entre outras. Quando o recrutamento para a equipa de Abuso abriu no início de 2014, soube que as suas habilitações nos serviços de comunicação com pacientes de hospital, lidando com queixas e questões de pessoas utilizadoras de serviços, seria uma boa adição à equipa e depois de se juntar nunca mais olhou para trás. Como membro da equipa de Abuso, Danielle lidou com casos desde má utilização acidental de tags até plágio e assédio e provavelmente já sabe a maior parte dos Termos de Serviço do AO3 de cor! Danielle traz um excelente conhecimento de mediação e resolução de problemas à equipa e dedica-se completamente à OTW (Organização para Obras Transformativas) e ao seu trabalho.

(mais…)

Biografia e Manifesto de Milena Popova

Bio

Milena Popova tem tido uma relação complicada com fandom há bem mais de duas décadas (não façam as contas!). Depois de fanfic ter arruinado completamente a sua capacidade de apreciar a cultura popular mainstream para além do “preço de entrada” para a fandom, Milena decidiu fazer disso carreira e está atualmente a completar a sua pesquisa de doutoramento acerca de representações de consentimento sexual em fanfiction. Numa vida passada, Milena foi uma pessoa administradora de projetos/tecnologia numa grande multinacional e para além disso tem também uma grande quantidade de experiência em voluntariado, tanto no passado como atualmente, incluindo a participação nas direções de duas organizações sem fins lucrativos no Reino Unido. Na OTW (Organização para Obras Transformativas), tem sido uma pessoa voluntária de organização de tags há dois anos e meio e, mais recentemente, membro da equipa do Comité de Comunicação no projeto Fanhackers. Milena pertence completamente a um gato chamado Chili (também conhecido como Cultural Theorist Cat (Gato Teórico Cultural)), com que vive no sudoeste de Inglaterra.

(mais…)